A ANÁLISE CRÍTICA DA CULTURA ORGANIZACIONAL DE UMA STARTUP DO AGRONEGÓCIO:

fatores facilitadores e restritivos

  • Bianca Veneziano Demarqui Graduada em Administração da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – SP
  • Rosemary Rocha Caligioni Mestranda em Administração da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – SP
  • Lesley Carina do Lago Attadia Galli Profa. Dra. da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – Brasil.
  • Marcia Mitie Durante Maemura Profa. Dra. da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – Brasil.
  • Sheila Farias Alves Garcia Profa. Dra. da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – Brasil.
Palavras-chave: Startup. Cultura organizacional. Comportamento Organizacional. Agronegócio. Inovação.

Resumo


As startups são empresas nascentes orientadas pela inovação com grande potencial de crescimento no mercado, graças a configuração de um modelo de negócio de baixo custo, repetível, escalável e altamente lucrativo. Dentro deste contexto, este trabalho tem como objetivo fazer uma análise crítica da cultura organizacional de uma startup do agronegócio, buscando identificar os fatores facilitadores e restritivos para a institucionalização da organização. Para tanto, foi realizada uma pesquisa aplicada, de caráter descritivo e abordagem qualitativa, utilizando como método o estudo de caso. A cultura fraca impede que os valores organizacionais sejam absorvidos pelos membros da organização e a falta de uma gestão efetiva da cultura da organizacional contribui negativamente para o engajamento das pessoas no trabalho.

Publicado
28/12/2020
Seção

Mercadológica e Gestão Estratégica da Competitividade Organizacional / Gestão estratégica de pessoas e segurança do trabalho