INFLUÊNCIA DA MICROESTRUTURA DE UM AÇO SAE 1095 NA RESISTÊNCIA AO DESGASTE ABRASIVO

  • Prof. Dr. Alessandro Fraga Farah Faculdade de Tecnologia (FATEC) – Sertãozinho – SP – Brasil
  • Profa. Mestra Solange Pereira dos Santos Farah Faculdade de Tecnologia (FATEC) – Sertãozinho – SP – Brasil
  • Profa. Mestra Márcia Aparecida Gomes Faculdade de Tecnologia (FATEC) – Sertãozinho – SP – Brasil
  • Vinicius Henrique dos Santos Tecnólogo em Mecânica: processos de soldagem - Faculdade de Tecnologia (FATEC) – Sertãozinho – SP – Brasil
  • Anderson Luís de Oliveira Tecnólogo em Mecânica: processos de soldagem - Faculdade de Tecnologia (FATEC) – Sertãozinho – SP – Brasil
Palavras-chave: SAE 1095. Resistência ao Desgaste. Tratamentos térmicos

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estudar um aço SAE 1095, fundido, com diferentes tratamentos térmicos para verificar a influência da microestrutura na resistência ao desgaste abrasivo. Os corpos de prova foram submetidos a tratamentos térmicos, ensaios de dureza e ensaios de desgaste abrasivo e caracterização microestrutural. Foram realizados tratamentos térmicos de normalização a 900°C seguido de resfriamento ao ar; têmpera partindo de 900°C de austenitização e resfriado em água; têmpera partindo de 800°C de austenitização e resfriado em água; revenimento em duas temperaturas diferentes sendo a primeira a 205°C e a segunda a 420°C, sendo o resfriamento realizado ao ar. Posteriormente, as medidas de dureza foram efetuadas, e em seguida foram realizados os ensaios de desgaste abrasivo do tipo roda de borracha (ASTM G65). A caracterização microestrutural foi feita por microscopia ótica, utilizando diferentes ataques químicos para melhor identificação das fases. Os resultados obtidos neste trabalho mostraram um material com boa resistência ao desgaste abrasivo, dependendo da sua condição microestrutural.

Publicado
20/12/2018
Seção

Mecânica e Metalurgia de Transformação / Fundição e soldagem