RELAÇÃO DO TRIPÉ MACROECONÔMICO E A NOVA MATRIZ SOBRE A FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXA NO PERÍODO DE 1999 A 2014

  • Luis Miguel dos Santos Cerukovic Bacharel em Ciências Econômicas - Centro Universitário Moura Lacerda(CUML) –Ribeirão Preto – São Paulo – Brasil
  • Professor Me. Cláudio Pereira Bidurin Centro Universitário Moura Lacerda(CUML) – Ribeirão Preto – São Paulo – Brasil
Palavras-chave: Economia Brasileira. Tripé Macroeconômico. Nova Matriz Econômica. Investimento Econômico

Resumo


O investimento tem função primordial no crescimento econômico sustentável de uma nação, de modo a incentivá-lo o governo realiza uma série de políticas econômicas. O objetivo deste artigo é analisar as variáveis relacionadas às políticas econômicas de dois recentes e distintos períodos da economia brasileira, o tripé macroeconômico e a nova matriz econômica, fornecendo às bases teóricas que compõe as atuais políticas econômicas de fomento e amparo às unidades privadas, relevantes a economia em desenvolvimento brasileira. Este estudo tem como base a Teoria Geral de Keynes e o pressuposto de que o Estado é o ente econômico que pode fomentar a economia, em momentos de crise, de forma a estimular o pleno emprego e realizar a manutenção do bem-estar no longo prazo, assim como definir taxas de juros que possibilitem a participação e o interesse dos empresários capitalistas de realizarem investimentos, que permitirão o crescimento econômico da nação. Contudo, o presente artigo chama atenção para o nível de intervenção na economia, precavendo sobre os possíveis ganhos e perdas causados pela intervenção do estado e neste trabalho são analisadas as políticas econômicas predominantes no período de 1999 a 2014. 

Publicado
2018-12-20
Seção

Mercadológica e Gestão Estratégica da Competitividade Organizacional / Competitividade e vantagem competitiva