A VISÃO DOS SUCESSORES DE ORGANIZAÇÕES FAMILIARES DO AGRONEGÓCIO

um mapeamento dos fatores facilitadores e restritivos do processo de sucessão

  • Anielle Beatriz Toscano Molina Bacharel em Administração pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – Brasil
  • Rosemary Rocha Caligioni Especialista em Perícia Contábil e Financeira pelas Faculdades COC de Ribeirão Preto e Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade de Ribeirão Preto – UNAERP – Ribeirão Preto – SP – Brasil
  • Lesley Carina do Lago Attadia Galli Dra. em Administração pela FEA-USP. Docente e Pesquisadora da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – UNESP – Jaboticabal – São Paulo – Brasil
  • Cristiane Sonia Arroyo Profa. Dra. em Administração pela FEA-USP. Docente da Faculdade de Ciências Empresariais de São Joaquim da Barra - FACESB – São Joaquim da Barra – São Paulo – Brasil
  • Glaucia Aparecida Prates Profa. Dra. da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP – Jaboticabal - São Paulo – Brasil
Palavras-chave: Empresa familiar. sucessão familiar. Agronegócio

Resumo


Por ter um papel relevante na economia brasileira, o agronegócio é bem representado por empresas familiares, e quando estas passam pelo processo de sucessão familiar, enfrentam dificuldades e, as vezes ações sem sucesso. O presente trabalho tem como objetivo mapear as percepções durante o processo sucessório em 12 empresas familiares na região de Ribeirão Preto, tendo como referência a visão dos sucessores, identificando os fatores facilitadores e restritivos. Como metodologia, a atual pesquisa elegeu o método descritivo, o qual adotou caráter qualitativo, utilizando entrevistas semiestruturadas em profundidade, além de observação não participante para coleta de dados.

Publicado
2019-12-19
Seção

Mercadológica e Gestão Estratégica da Competitividade Organizacional / Competitividade e vantagem competitiva